Rio -  Após ganhar liberdade condicional, o goleiro Bruno Fernandes viverá mais uma alegria nesta semana. Segundo a noiva do jogador, a dentista Ingrid Calheiros, o atleta, que é evangélico, será batizado dentro do Presídio Nelson Hungria, em Contagem (MG), nesta quinta-feira. A liberdade condicional refere-se à pena por agressão e cárcere privado de Eliza Samudio, no Rio de Janeiro, em 2009, quando ela ainda estava grávida de Bruninho. Bruno não será solto porque há um mandado de prisão contra ele, envolvendo o processo judicial que o aponta como assassino de Eliza.

Foto: Reprodução / Internet

“Amanhã (hoje) é um dia de muita alegria para mim! Meu marido vai ser batizado nas águas na igreja da penitenciária! Eis que Deus fará nascer um novo homem! Uma nova Criatura em Cristo Jesus, obrigado Deus, tu sabes de todas as coisas! Em tudo na nossa vida é um propósito de Deus, e o propósito do Bruno se cumpre amanhã! em nome de Jesus, Amém”, escreveu Ingrid no Facebook.

Casamento em breve
Em 24 de maio, Ingrid deixou claro na rede social que pretende se casar com o goleiro assim que ele deixar a prisão. “Amémmmmm, falei pra ele, um pé na rua e outro no cartório!!! rsrs”, escreveu Ingrid, em resposta ao comentário de um amigo. “Isso mesmo, assim que ele der o primeiro passo lá fora, esse casamento vai acontecer o mais rápido possível, quero estar presente nesse momento prestigiando esse grande amor!!”, disse outro amigo.
Bruno está preso em Contagem, na Penitenciária de Segurança Máxima Nelson Hungria, em cumprimento a pena do processo do Rio de Janeiro e também em determinação judicial para aguardar julgamento em processo na Justiça Mineira, no qual é acusado de, em 2010, sequestrar Bruninho, matar Eliza e ocultar seu corpo.
A defesa de Bruno tenta no Supremo Tribunal Federal (STF), última instância da Justiça, um habeas corpus para livrá-lo da prisão, enquanto aguarda o julgamento. Diversos pedidos já foram feitos e negados à Justiça Mineira e ao Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Bruno e Ingrid em imagem publicada no Facebook da dentista | Foto: Reprodução / Internet
 O pedido de liberdade condicional de Bruno, referente ao processo do Rio de Janeiro, foi julgado pela Justiça de Contagem, pois é nesta cidade em que Bruno está preso. Macarrão também tem direito à liberdade condicional, pois cumpriu um terço de sua pena de três anos no caso do Rio. Bruno foi condenado a quatro anos e seis meses de prisão e por ter cumprido um terço de sua pena tem direito à liberdade condicional, conforme prevê a legislação brasileira.
O ex-atleta só poderá deixar a cadeia quando conseguir liberdade referente aos dois processos em que é acusado criminalmente. No caso do Rio, a liberdade está garantida, mas no processo de Minas, ele ainda luta pelo habeas corpus. O processo do Rio já foi julgado, mas o de Minas sequer tem data de julgamento, pois ainda há possibilidade de recursos. Enquanto no processo do Rio estiveram envolvidos apenas Bruno e seu ex-braço-direito, Luiz Henrique Romão, o Macarrão; em Minas, o processo envolve um número bem maior de réus.
São apontados como envolvidos no sequestro de Bruninho e de Eliza, na morte dela e na ocultação de seu cadáver: Bruno, Macarrão e Marcos Aparecido dos Santos (Bola) – presos – ; além de Dayanne Rodrigues (ex-mulher de Bruno), Fernanda Castro (ex-namorada de Bruno), Wemerson Marques (amigo de Bruno), Elenilson da Silva (ex-caseiro) e Sérgio Rosa (primo de Bruno). Um adolescente à época do crime, também envolvido, está detido em um Centro de Internação de Menores, em Belo Horizonte.