segunda-feira, 2 de setembro de 2019

Povo de Deus

O termo Povo de Deus é usado por Deus para se referir inicialmente ao povo hebreu, vemos claramente que Deus fala com Moisés por inúmeras vezes chamando os hebreus de Meu povo, observemos Êxodo 3:7: Disse o Senhor a Moisés: Tenho ouvido a aflição do meu povo no Egito... É a primeira vez em que vemos a expressão no Pentateuco, observe que Deus se apresenta a Moisés no versículo 6, como o Deus de Abraão, Isaque e Jacó, fazendo referencia a aliança que havia feito com Abraão quando ainda estava na Mesopotâmia, vejamos em Gênesis 12 onde Deus ordena que Abraão saia de Ur dos Caldeus e lhe promete que lhe faria o patriarca de uma grande nação.

Essa expressão se manteve firme ao longo dos séculos e durante a expansão da igreja neotestamentária. Vejamos a expressão sendo usada pelo apóstolo Pedro em sua primeira epístola no capitulo 2 versículo 9 e 10: Vós, porém, sois raça eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus... vós, sim, que antes, nem éreis povo, mas agora, sois povo de Deus...

Em nosso século a expressão Povo de Deus ainda perdura, não somente esse termo, mas outras designações bíblicas ainda são utilizadas frequentemente entre os cristãos, como é o caso das expressões `sois raça eleita` e `sacerdócio real` de 1 Pedro 2:10. Outra expressão que poderíamos expor é `irmãos` que podemos ver em 1 João 2:10; Aquele que ama seu irmão está na luz, por fim `Corpo de Cristo` foi a expressão usada por Paulo em sua carta a igreja de Corintios no capitulo 12, onde ele apresenta o corpo como a igreja, tendo o corpo muitos membros, mas o corpo é um, onde o cabeça é Cristo.

São essas algumas das expressões utilizadas por Deus para nomear seu povo, escolhido e exclusivamente seu, para ser porta voz, embaixadores do próprio Deus para todos os povos a todo o mundo.

Autor: Roberto Ornellas

Gostou?? Então comente!!

segunda-feira, 5 de agosto de 2019

Uma Viagem na História de Israel, do Patriarca Abraão até os dias de hoje!!

A narrativa bíblica acerca da história de Israel, começa com o patriarca Abrão de Ur dos Caldeus, Deus aparece a Abraão e diz para ele sair com sua família para uma terra que o próprio lhe mostraria. Sara, esposa de Abrão não podia gerar filhos mas Deus manifestou seu poder e Sara gerou Isaque, entra em cena o segundo patriarca. Isaque teve dois filhos, Esaú e Jacó, Esaú era o filho mais velho, mas vendeu sua primogenitura ao seu irmão Jacó, que induzido por sua mãe Rebeca, usou de artifícios para enganar seu irmão mais velho e seu pai que já estava cego e na sua velhice. Jacó ou Jacob é o terceiro patriarca, a bíblia narra que Deus muda seu nome para Israel, Jacó teve dez filhos que deram origem as primeiras dez tribos de Israel, eram elas: Rúben, Simeão, Judá, Zebulom, Issacar, Dã, Gade, Aser, Naftali, Benjamim. Mas ainda existem mais duas tribos oriundas dos netos de Jacó, filhos de José, eram elas: Manassés e Efraim, isso se deve porquê Jacó abençoou os filhos de José como sendo seus próprios filhos. A história conta que José foi vendido como escravo por seus irmãos, que tinham ciúmes dele em razão dos seus sonhos e da preferência de Jacó por ele, que foi gerado em sua velhice, daí a expressão José o sonhador. 

O que parecia ser o início de uma derrota, torna-se uma história de honra e glória, José é vendido como escravo e em aproximadamente 13 anos no Egito, foi elevado ao cargo de governador, abaixo apenas de Faraó. Até que a fome fez com que seus irmãos fossem até o Egito buscar comida, mas a frente estavam seus irmãos e seu pai Jacó na terra do Egito e habitaram na terra de Gósen. Até que José morreu, Faraó morreu e várias gerações passaram, os hebreus cresciam em grande número, o Faraó que não conhecia a história de Jacó escravizou o povo hebreu. Os Hebreus permaneceram escravos no Egito por 400 anos, até que o Deus envia Moises e liberta o povo com grande mão forte da escravidão imposta por Faraó. 

Seiscentos mil foram os que saíram do Egito e após atravessar o Mar Vermelho os Hebreus tornam-se um povo nômade no deserto, durante 40 anos Deus os sustentou e os preparou no deserto rumo a terra de Canaã. Moisés era morto e Josué assume a liderança do povo, os Hebreus atravessam o Jordão, atacaram e derrotaram vários povos militarmente superiores que habitavam na terra da promessa. Vencida inúmeras guerras e o povo se estabeleceu na terra de Canaã, o Senhor levantou profetas, sacerdotes e juízes, alguns permaneciam na presença de Deus e outros se deixavam corromper pelas idolatrias dos povos pagãos, até que Samuel, filho de Elcana, sendo profeta e juiz se levanta em Israel, o povo pede um rei a Samuel e assim se encerra o período teocêntrico, Samuel unge Saul como rei entre o povo, que agora, deixam de ser conhecidos como hebreu, termo usado em razão da descendência de Sem, filho de Noé, dando lugar a uma nação chamada Israel. 

Em 1051 a.C. inicia-se o Reino Unido de Israel, Saul foi ungido o primeiro rei de Israel, no início fez o que determinava o Senhor, mas depois se corrompeu. Deus determina que Samuel ungisse a Davi como novo rei de Israel, desde o dia de hoje não houve em Israel maior rei do que Davi, cometeu erros sim, mas permaneceu temente a Deus e por isso foi considerado o homem segundo o coração de Deus. Após Davi, reinou Salomão, famoso rei por sua sabedoria, pediu sabedoria a Deus e a bíblia afirma que em sabedoria, igual a ele não existiu e nem existirá. 

Em 931 a.C. ocorre o fim do Reino Unido de Israel, Salomão havia aumentado os tributos para construção do templo de Jerusalém e após sua morte, seu filho, Reboão assume o reino, mas dez tribos se dividem. Israel se divide em Reino do Sul e o Reino do Norte com a maior parte do povo, sendo as dez tribos sobre o governo de Jeroboão, tendo Samaria como capital, muitos reis governaram. 

Até que em 722 a.C. o reino foi extinto quando a Assiria invadiu o Reino do Norte e prendeu Oseias e os israelitas. Já o Reino do Sul durou um pouco mais, muitos reis governaram o reino, quando em 586 a.C. foram levados cativos pelos Babilônicos. 

A história de Israel é marcada por altos e baixos políticos, econômicos e espiritual. Muitos reis governaram a nação, alguns faziam o que agradava a Deus e o Senhor respondia com poder, a nação era reerguida até que desprezavam a Deus e novamente eram dominados pelas nações inimigas. Por hora Israel era escravo no Egito, outro momento eram oprimidos pelos Sírios, Babilônicos, Persas, Gregos, viviam em guerra constante com os Filisteus, Moabitas, Cananeus e outros povos inimigos. A nação clamava a Deus e o Senhor os faziam vencedores, mas o povo se corrompia e voltavam a sofre nas mãos dos povos inimigos. Quando Jesus nasceu Israel vivia sobre o domínio político e econômico do Império Romano, Jesus viveu nesse período, por isso que os Judeus ainda esperam o Messias, eles queriam um Messias que os libertassem das mãos do Império Romano, Jesus não atendeu as expectativas deles. Jesus foi preso e condenado pelo sinédrio e pelo governo Romano. 

No ano 70 d.C. houve a diáspora judaica, os judeus foram expulsos da Palestina pelo Império Romano, o templo de Jerusalém foi destruído pela terceira vez, os judeus se espalharam pelo mundo, foram principalmente para Europa e Ásia Menor e África, décadas se passaram e ocorreram algumas tentativas frustradas de unir os judeus, até que 1947 a Organização Nacional das Nações Unidas reconhece Israel como pais, mas a frente, Israel se torna membro da ONU, em 14 de maio de 1948 ocorreu a criação do estado de Israel, só que o ato não foi tão pacífico assim, no dia seguinte a sua independência, Egito, Síria, Jordânia, Líbano e Iraque se juntam contra Israel o que levou a guerra Árabe Israelense que durou por 10 meses com a vitória de Israel sobre os Árabes. 

Até hoje não existe um consenso da comunidade internacional quanto a Jerusalém ser ou não a capital de Israel. Em 2018 os EUA transferiu a sua embaixada de Tel Aviv para Jerusalém, declarando assim para o mundo que considera Jerusalém a capital de Israel, isso deixou ainda mais acirrados os ânimos entre Israelenses e Arabes. 

Autor: Roberto Ornellas
Gostou?? Então comente!!

segunda-feira, 17 de junho de 2019

A oferta que não vale nada

Fico triste em ver muitos evangélicos, muitos até críticos no quesito santidade, criticam o pastor, a pregação, o louvor, o ofertório, o horário dos cultos, criticam todas as denominações do mundo, nenhuma presta!! Mas na verdade são verdadeiros sepulcros caiados. Pessoas assim normalmente não possuem muitos compromisso na igreja, julgam a todos, porque não sabem o preço que os irmãos pagam para se dedicar a obra do Senhor. 

A minha indignação e creio que seja o mesmo sentimento de Deus, se dá em razão da negligência, do desleixo, dos evangélicos no apoio as programações de sua igreja, nossos cultos são uma oferta voluntária a Deus, quando eu saio da minha casa para ir à igreja, eu estou dando a Deus uma oferta, que me custa algo, eu poderia ficar em casa fazendo qualquer outra coisa, mas deixei minhas responsabilidades e fui oferecer um culto ao Senhor!! No antigo testamento vemos muito o termo “culto sacrificial”, onde as pessoas levavam animais em sacrifício a Deus e esses animais eram perfeitos, sem nenhum defeito ou doença, essa oferta lhes custavam algo. 

Hoje não oferecemos mais animais, mas continuamos oferecendo cultos a Deus, mas a oferta sou eu, meu tempo, minha atenção, meus bens, meu salário, não significa que tenho que dar todo meu salário na igreja, mas ofereço uma pequena parte dele, assim como devo oferecer uma pequena parte do meu tempo, da minha atenção, dedicação, da minha vida. Deus não quer tudo, ele quer uma parte de qualidade! Infelizmente muitos só oferecem a Deus aquilo que não lhe custam absolutamente nada, oferecem a Deus aquilo que não tem valor, não estou falando somente de dinheiro, mas estou falando de dedicação, voluntariedade, desejo de buscar a Deus e contribuir para o crescimento do evangelho de Cristo, isso é o Ide registrado no livro de Marcos 16:15. 

A verdade é que o século 21 é o século das distrações, onde quase todos nós temos um celular com Whatsapp, possuímos uma conta no Facebook, Instagram, Twitter e etc.. Quase todas as casas possuem uma grande TV SMART com acesso aos inúmeros vídeos do YouTube sem contar a grade de canais da sua TV por assinatura. Então onde fica a parte de qualidade que é de Deus??? Lembro-me do tempo onde os irmãos amavam ir para o culto de oração de joelhos, ainda lembro de ver crianças de joelhos orando ao Senhor, contávamos os dias para ir para EBD estudar a palavra do Senhor!! 

Minhas palavras não são para humilhar ou constranger ninguém, todos nós somos valorosos para Deus, minha oração é para que o Espírito Santo possa me usar através dessas linhas e convencer a sua igreja sobre a necessidade de dedicação na sua obra. Sei que muitos crítico vão continuar a me criticar, vão continuar a faltar os cultos de oração, as consagrações, as EBD, os cultos semanais, por fim vão chegar atrasados no culto de domingo a noite!! DIRÃO: É o único que eu posso ir, tenho muitas ocupações e não posso ir muito para igreja!! Não tenho muito tempo e não tenho como oferecer algo melhor a Deus, não estou disposto a fazer sacrifício porque estou muito cansado, trabalho muito, que faça o Pastor já que ele não faz nada!! 

Autor: Roberto Ornellas 
Gostou?? Então comente!!

segunda-feira, 3 de junho de 2019

A infidelidade de Israel para com Deus

A fidelidade a YHWH é algo inegociável, o Senhor faz uma aliança com Israel, mas os judeus não foram capaz de se manter fiel a YHWH. Seja como escravos no Egito, seja como nômades no deserto, mesmo ao atravessar o mar, mesmo que a coluna de fogo esteja toda a noite para os aquecer ou que a nuvem da gloria de Deus esteja durante o dia de calor intenso no deserto. Mesmo sendo herdeiros da terra de Canaã, mesmo sendo oprimidos pelo império babilônico, mesmo aflitos pelos sírios, persas, gregos ou mais uma vez sofrendo a aflição do império romano, seja no período Teocêntrico, Monárquico ou Imperialista, nem na Lei nem na Graça, até os dias de hoje, Israel não foi capaz de ser fiel a YHWH. 

Os altos e baixos social, financeiro e espiritual dos judeus se leva em conta da infidelidade a YHWH, quando o povo sofria, buscavam ao Senhor e Deus os livrava com grande mão forte, mas se passava algum tempo e novamente os judeus se afastavam de Deus. Hoje pela infinita misericórdia de YHWH, nós somos o Israel de Deus, sendo conhecedores da drástica e infeliz história do povo escolhido, nos resta uma grande aprendizagem e um grande legado. 


Que possamos olhar para Israel e entender que o afastamento de Deus nos leva a uma vida de fracasso, opressão e morte. E encontra partida a aproximação do indivíduo a YHWH nos torna infalíveis. Deus espera em cada um de nós aquilo que os judeus não conseguiram concretizar, que possamos nos chegar mais a YHWH e nos empenhamos em realizar seus propósitos. Oferecendo a Deus todo nosso empenho, devoção e primazia, focando em aprender mais de Deus e mais da sua palavra, buscando maior intimidade com Ele através das nossas orações e também no que tange a propagação do evangelho do reino, por meio do evangelismo pessoal e nas reuniões e encontros em nossa igreja e nossa denominação. Somos a nação escolhida de Deus, povo eleito e sacerdócio fiel a YHWH. 


Autor: Roberto Ornellas 

Gostou?? Então comente!!

segunda-feira, 6 de maio de 2019

Abismo

Certa vez uma mãe, viu seu filho seguindo por um caminho muito irregular e acidentado, por vezes sua mãe o alertava para que tomasse cuidado ou iria cair e se machucar! Ignorando as recomendações de sua mãe, o filho permanecia no caminho irregular, o que por diversas vezes o levava a cair e se machucar. 

A distância entre mãe e filho aumentava e já não permitia que o filho ouvisse sua matriarca. Até que chegou um momento que seu filho estava a beira de um grande penhasco que o levaria a morte! Sua mãe em uma agonia profunda, gritava, chorava e aos prantos dizia: - Meu filho, você vai cair no penhasco, mas a distância entre eles não permitia que sua voz fosse ouvida pelo seu amado filho. Até que o inevitável aconteceu, seu filho chegou ao fim do caminho e caiu em um abismo, por maior que fosse o esforço da sua mãe, a tragédia aconteceu e mãe sepultou seu filho desejando que na sepultura estivesse o seu próprio corpo no lugar do dele! 


Essa mãe representa Deus e o filho somos nós, que por vezes nos afastamos de Deus e não conseguimos ouvir a sua voz!! Deus se encontra agora em um esforço incalculável, tentando de todas as maneiras fazê-lo escutar a Sua voz. Você consegue ouvir a voz de  Deus e evitar a tragédia que está prevista? Eis que estou à porta e bato, se alguem ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei e cearei com ele, e ele comigo. Apocalipse 3:20 


Autor: Roberto Ornellas 

Gostou?? Então comente!!